O QUE É HIPERMETROPIA?

Hipermetropia

 

O QUE É HIPERMETROPIA?

 

A hipermetropia, é um problema de visão relativamente comum em que objetos próximos parecem embaçados, mesmo quando objetos distantes permanecem claros.

 

A maioria dos bebês nascem com hipermetropia, mas por volta de 1 ano de idade, menos de 4% das crianças têm hipermetropia, que continua desaparecendo à medida que a idade adulta avança, relata o National Institutes of Health.

Na meia-idade, os adultos tendem a desenvolver presbiopia, o que torna mais difícil ver de perto. 

Essa condição pode ser descrita como hipermetropia, mas é diferente.

 

Sinais e sintomas de hipermetropia

 

Se você está segurando seu material de leitura cada vez mais longe de seus olhos para vê-lo mais claramente, e apertando os olhos ou forçando para ver, pode ser um sinal de hipermetropia, de acordo com a Clínica Mayo.

Mesmo sem estar ciente disso, você pode estar se esforçando mais para manter a distância perfeita entre seus olhos e o objeto que está tentando ver. 

Isso pode causar os seguintes problemas:

  • Fadiga ocular
  • Olhos queimando
  • Dores de cabeça
  • Desconforto geral dos olhos

A hipermetropia leve pode não causar sintomas perceptíveis, mas é por isso que é importante fazer exames oftalmológicos regulares, de acordo com o National Eye Institute (NEI).

 

 

 

Causas e fatores de risco da hipermetropia

 

Em uma pessoa com visão normal, os olhos focalizam a luz diretamente na retina (que é como uma tela na parte de trás do olho).

Mais comumente, a hipermetropia é causada por uma córnea (a camada transparente na frente do olho) que não é curva o suficiente ou por um globo ocular muito curto. 

Esses dois problemas impedem que a luz se concentre diretamente na retina. 

Em vez disso, a luz se concentra atrás da retina, o que faz com que objetos próximos pareçam desfocados.

A maioria das pessoas com hipermetropia nasce com ela, embora possa não se tornar aparente ou causar problemas de visão até que sejam mais velhas.

Embora não haja um padrão claro de herança direta, o risco de hipermetropia é maior se você tiver um parente de primeiro grau (como irmãos ou pais) com a doença.

 

Como a hipermetropia é diagnosticada?

 

Um exame oftalmológico completo por um optometrista pode detectar facilmente a hipermetropia.

Testes de visão comuns, como os feitos em escolas, podem não diagnosticar o problema. 

Isso porque esses testes geralmente avaliam a visão à distância, não sua capacidade de ver objetos próximos.

Durante um exame abrangente, um oftalmologista usará um instrumento chamado retinoscópio para ver como a luz reflete na retina, o que pode indicar hipermetropia ou miopia

Outro instrumento, chamado foróptero, mede a quantidade de erro refrativo que você tem e determina a força das lentes prescritas.

Mesmo se você não tiver sintomas de hipermetropia, é uma boa ideia fazer um exame de vista por volta dos 40 anos, de acordo com a Clínica Mayo.

Depois disso, a American Academy of Ophthalmology (AAO) recomenda fazer um exame oftalmológico nos seguintes intervalos se você não tiver fatores de risco para doenças oculares:

  • A cada dois a quatro anos, entre 40 e 54 anos
  • A cada um a três anos entre 55 e 64 anos
  • E a cada um a dois anos a partir dos 65 anos

Se você está sob alto risco de certas doenças oculares, como glaucoma, ou se tem diabetes, seus olhos devem ser examinados com mais frequência e a cada um ou dois anos a partir dos 40 anos.

A AAO recomenda que as crianças façam um rastreio ocular quando são recém-nascidas e novamente entre os 6 e os 12 meses. 

Entre os 3 e 5 anos de idade, a visão e o alinhamento dos olhos devem ser verificados, e a acuidade visual deve ser testada assim que a criança conseguir ler um gráfico ocular. 

Aos 5, a triagem para acuidade visual e alinhamento deve ser realizada. Se uma criança falhar em um teste de triagem de visão, um exame oftalmológico abrangente pode ser necessário.

 

Prognóstico de hipermetropia

Para a maioria das pessoas com hipermetropia, o uso de óculos ou lentes de contato é suficiente, de acordo com a Harvard Health Publishing.

Anualmente, dezenas de milhares de pessoas obtêm bons resultados com a cirurgia ocular a laser para hipermetropia, relata Harvard.

 

Duração da hipermetropia

Conforme observado acima, a maioria das pessoas nasce com hipermetropia, mas por volta de 1 ano de idade, menos de 4% das crianças têm hipermetropia.

A maioria dos adultos começa a perder a visão de perto por volta dos 40 anos por causa da presbiopia, uma condição em que a lente do olho se torna menos flexível, de acordo com a Cleveland Clinic.

A presbiopia piora progressivamente até as pessoas chegarem aos 60 anos, ponto em que tende a se estabilizar.

Pessoas com hipermetropia correm o risco de desenvolver presbiopia prematura.

  

 

Hipermetropia

 

Opções de tratamento e medicação

 

O tratamento mais simples para a hipermetropia é o uso de lentes corretivas, sejam óculos ou lentes de contato, de acordo com a Mayo Clinic.

Outra opção para o tratamento da hipermetropia é a cirurgia. 

Embora a maioria das cirurgias corretivas seja feita para tratar a miopia, elas também podem ser realizadas para corrigir a hipermetropia.

 

Tipos de Cirurgias

As cirurgias comuns incluem estes procedimentos:

 

LASIK –  Um oftalmologista faz uma aba redonda com dobradiças em sua córnea. 

Em seguida, usando um excimer laser (que, ao contrário de outros lasers, não produz calor), o médico remove camadas do centro da córnea para alterar sua forma e melhorar sua visão.

 

LASEK –  O médico trabalha apenas na fina camada externa da córnea (epitélio). 

Depois de criar uma aba, o médico usa um excimer laser para remodelar a camada externa da córnea.

Após este procedimento, seu médico pode inserir uma lente de contato temporária para proteger seu olho por alguns dias.

 

PRK – O médico remove todo o epitélio e, usando um laser, muda a forma da córnea. 

O médico não substitui o epitélio, que cresce por conta própria e se conforma à córnea remodelada.

 

A cirurgia pode incluir estas complicações:

  • Correção insuficiente ou excessiva de seu problema de visão original
  • Novos problemas de visão, como halos ou outros efeitos em torno de luzes brilhantes
  • Olho seco
  • Infecção
  • Cicatriz da córnea
  • Perda de visão (em casos raros)

 

Opções de medicação

A pesquisa mostra que dois tipos de colírio podem reduzir temporariamente a presbiopia, de acordo com a American Academy of Ophthalmology (AAO).

 Mas esses medicamentos ainda não estão disponíveis.

Por enquanto, pessoas com hipermetropia podem melhorar sua visão usando óculos ou lentes de contato.

 

Terapias Alternativas e Complementares

Os exercícios para os olhos não são uma terapia alternativa comprovadamente eficaz para a hipermetropia, de acordo com a Harvard Medical School.

Quando os olhos ficam cansados, é uma boa ideia parar de ler ou fazer outros trabalhos de perto. 

Isso pode atrasar a necessidade de óculos ou lentes de contato para hipermetropia.

 

Hipermetropia

 

Prevenção da hipermetropia

 

Não há como prevenir a hipermetropia, de acordo com a Mayo Clinic.

Mas certos comportamentos e práticas podem ajudar a proteger sua visão e olhos.

As medidas de proteção incluem exames oftalmológicos regulares e proteção dos olhos do sol. 

Você pode reduzir a fadiga ocular desviando o olhar de uma tarefa em close-up (como ler ou trabalhar no computador) e olhar para algo a 6 metros de distância por 20 segundos a cada 20 minutos.

 

Complicações da hipermetropia

 

Possíveis complicações incluem:

  

  • Olhos cruzados – Crianças com hipermetropia às vezes podem desenvolver estrabismo, mas os óculos podem ajudar a tratar o problema.

 

  • Tensão ocular – Sem correção, a hipermetropia pode fazer com que as pessoas apertem os olhos ou forcem os olhos, o que pode causar dores de cabeça e fadiga ocular.

 

  • Comprometimento da segurança – Quando a hipermetropia não é corrigida, pode interferir na segurança das pessoas, como ao dirigir.

 

 

Ajude-nos compartilhando com seus amigos