Como Punir um Cachorro - VIDA COM SAÚDE

Como Punir um Cachorro

Como punir um Cachorro Corretamente

 

A punição pode tornar seu cão mais pessimista.

Novas pesquisas examinam os efeitos psicológicos do treinamento baseado em punição em cães companheiros e descobrem que esses métodos de treinamento são prejudiciais ao bem-estar dos cães, tanto a curto quanto a longo prazo.

 

Qual é a melhor maneira de fazer com que os cães parem de mastigar o tapete, fazer xixi no chão e latir quando toca a campainha?

Alguns donos de cães tendem a punir seus animais de estimação, gritando ou repreendendo-os verbalmente.

Mas pesquisas mostram que esses e outros métodos negativos, embora eficazes, podem aumentar os níveis de estresse nos animais.

De fato, uma revisão anterior de 17 estudos que analisaram os efeitos de diferentes métodos de treinamento em cães descobriu que métodos de treinamento aversivos, como punição, não são de modo algum mais eficazes que os métodos de reforço positivo.

A mesma revisão também descobriu que o treinamento e a punição aversivos podem colocar em risco a saúde física e mental de um cão.

No entanto, os estudos mais antigos da análise incluíram principalmente cães policiais e cães criados em laboratórios para pesquisa.

 

Pesquisa sobre as formas de punir um Cachorro

 

Poucos estudos analisaram cães de estimação e, agora, os pesquisadores pretendem corrigir isso examinando os efeitos de punições rotineiras em 92 cães acompanhantes.

Ana Catarina Vieira de Castro, Ph.D., da Universidade do Porto, em Portugal, é a principal autora do estudo, que aparece no servidor bioRxiv antes da impressão.

 

 

Testando os efeitos a curto prazo ao punir um cachorro

 

De Castro e a equipe partiram da hipótese de que cães treinados usando um método aversivo apresentariam mais marcadores comportamentais e fisiológicos de estresse. 

Em segundo lugar, os pesquisadores acreditavam que esses cães fariam julgamentos mais “pessimistas” nos testes de viés cognitivo.

Os pesquisadores recrutaram 42 cães de escolas de treinamento que usavam métodos baseados em recompensa para incentivar o bom comportamento. 

Nestas escolas, os cães são recompensados ​​com comida ou brincam por um bom comportamento.

A equipe também recrutou 50 cães de programas aversivos, onde gritar e puxar a coleira são elementos rotineiros do treinamento.

De Castro e colegas filmaram os cães durante o treinamento e coletaram amostras de saliva antes e depois de três sessões de treinamento.

Os vídeos revelaram que os cães exibiam mais sinais de estresse, como lamber os lábios e bocejar, e pareciam estar mais tensos. 

Tais indicadores não apareceram entre os cães treinados em recompensa.

Além disso, os testes de saliva mostraram níveis elevados de cortisol após as sessões de treinamento aversivo.

Enquanto os cães nos programas de treinamento com recompensa não apresentaram alterações no cortisol.

 

Punir um cachorro torna-os mais pessimistas

 

Então, a equipe queria ver se os efeitos do treinamento aversivo permaneceriam no longo prazo. 

Para esse fim, eles projetaram uma tarefa de viés cognitivo e a usaram com 79 dos 92 cães, porque alguns proprietários não estavam disponíveis, para ver como os cães reagiam à perspectiva de uma recompensa alimentar.

Na tarefa, os cães foram treinados para associar um lado da sala com uma linguiça. 

As tigelas naquele lado da sala continham linguiças o tempo todo, enquanto as tigelas do outro lado da sala não.

Em seguida, os cientistas colocaram uma tigela vazia a meio caminho entre os dois lados da sala. 

A tigela cheirava a linguiça, mas os cães não conseguiam ver se estava vazia ou cheia.

Cronometrando a rapidez com que o cão corria para verificar a tigela, os pesquisadores determinaram seu comportamento otimista ou pessimista.

Em testes padrão como esses, o pressuposto é que um cachorro otimista correria excitado para a tigela, achando que ela continha uma recompensa alimentar, enquanto um cão pessimista ficaria menos ansioso e se moveria mais devagar.

Os pesquisadores usaram esses testes para determinar a saúde mental dos animais e exibições pessimistas de comportamento correlacionadas com a ansiedade de separação e outros problemas de saúde mental.

No teste atual, a equipe constatou consistentemente que os cães treinados com o método aversivo eram mais pessimistas. 

De fato, quanto mais o cão foi punido, mais pronunciadas foram as descobertas.

“Nossos resultados mostram que cães acompanhantes treinados usando métodos baseados em aversão sofreram pior bem-estar, em comparação com cães acompanhantes treinados usando métodos baseados em recompensa, tanto no nível de curto quanto no longo prazo”, concluem os autores.

Além disso, eles escrevem: “Este é o primeiro estudo abrangente e sistemático a avaliar e relatar os efeitos dos métodos de treinamento de cães no bem-estar dos cães acompanhantes”. Os autores continuam:

” Criticamente, nosso estudo aponta para o fato de que o bem-estar de cães acompanhantes treinados com métodos aversivos parece estar em risco”.

 

 

 

 

Fonte: MedicalNewsToday

Ajude-nos compartilhando com seus amigos